6 de set de 2013




Por que a solidão é algo tão difícil de se suportar?

Sentir-se sozinho é estar sem apoios. Nada irá segurá-lo caso você caia. É encarar a incerteza sobre os seus próprios pés, apenas com os seus braços para ajudá-lo.

Você pode suprimir temporariamente o sentimento de solidão com conversas, substâncias, internet, eventos sociais, e por aí vai. Mas é certo que em algum momento ela irá bater novamente em sua porta, presenteando-te novamente com o desconforto.

Se evitarmos as distrações, a solidão apresentará um pesado sentimento de tristeza no plexo solar. Uma sensação esmagadora de impotência que nos faz querer esconder-nos debaixo do cobertor e dormir ou chorar. O encontro com a solidão nos transforma novamente naquela criança que anseia pelo colo da mãe e pela proteção de seus braços.

Se você quer ser soberano sobre sua vida, é preciso encarar a solidão e cruzar a tristeza descendo até o fundo de sua escuridão. Receber a solidão é um ato lindo que permite acender a chama do sol interno. É o requisito para afirmar a própria independência como ser maduro, adulto e pleno em poder.

Temer a solidão é o mesmo que colocar-se em uma cela onde as barras de ferro são os seus apegos. Você quer encontrar o seu parceiro, os seus amigos, a sua família, usar o facebook... Com apegos a sua vida vai caminhando a passos lentos. Você vai se movendo cada vez mais devagar, até o momento em que você está paralisado com tantas coisas segurando a sua energia.

Não importa a força do apego. Como a vida é movimento, cedo ou tarde ela irá derrubar e consumir todos eles. Um a um. E quando ela o fizer, você irá sofrer grandemente e será levado de volta ao ponto de partida: a solidão.

Comece a aceitar que a solidão é uma qualidade intrínseca ao Ser. Em outras palavras, quanto mais você tentar evitá-la, mais irá emaranhar-se em apegos desnecessários.

Livre-se de tudo que não é essencial em sua vida. E quanto aquilo que você ainda está muito conectado, pense sobre a possibilidade de perdê-lo. Desta maneira, você já começa a afinar-se com o movimento natural da vida e desenvolve o hábito do desapego para relações futuras.

Ao aceitar a solidão você se torna um ser energeticamente independente, o que significa poder expressar a sua espontaneidade sem preocupar-se com as opiniões alheias.

Se você está sozinho, está com a sua própria energia.
Se está com a sua própria energia, você está LIVRE.

Om Nadabrahman




O primeiro e mais fundamental medo humano é o medo da morte. Quando o bebê nasce, o cordão umbilical é cortado e partir daí o bebê sentirá fome. A esta primeira angustia, a da fome, ele associará à possibilidade da morte.

Por esta razão todos os desejos que sentimos possuem uma sensação corpórea como uma fome que precisa ser saciada. Desejos são tão fortes porque tem as suas raízes profundas no medo da morte.

A fome do bebê é assustadora porque ele não tem controle sobre ela. Ela vem e o bebê não sabe quando ela será saciada, se nos próximos minutos, horas, ou se será, de fato, saciada.

Agora que somos adultos precisamos compreender que a fome que grita dentro não irá nos matar pois agora temos nossas próprias mãos para nos alimentarmos.

Neste sentido, nós podemos remover os desejos de nosso sistema conversando com a criança que ainda habita em nosso interior dizendo-lhe que não há nada a temer, que ela não morrerá pois agora somos adultos, capazes e completos.

A lógica do desejo com sexo, substâncias químicas, conversa, internet, televisão, ou qualquer outro comportamento que nos seduz em sua direção é a mesma. Atrás desta força sedutora existe o medo de que se pararmos o vício algo ruim acontecerá. Na maior parte do tempo este sentimento não está consciente, racionalizado, mas ele se manifesta no corpo como uma sensação desconfortável, uma sutil agonia que gradualmente cresce mais e mais até o momento que sucumbimos a nossa vontade à vontade do desejo.

Todo desejo é ilusório. Ao conectarmos nossas mentes com algo que está fora de nós, perdemos a nossa própria energia e nos enfraquecemos. Ao fechar as portas da mente que nos tiram do momento presente, passamos a experimentar o aqui e agora em sua totalidade e benção.

Nós já somos completos. Não precisamos mais pegar energia do mundo exterior como fazíamos quando estávamos no ventre de nossas mães. Agora, ao invés de absorver, precisamos aprender a dar, emanando o brilho da luz divina de dentro para fora.

Om Nadabrahman




Amar significa abrir mão do egoísmo doando-se em benefício de outros. 

Para tornar-se o amor, é preciso renunciar a todo o mal. Em outras palavras, é necessário reconhecer a sua própria sujeira.

Entretanto, o orgulho é uma imensa barreira que bloqueia a passagem da luz. Você tem medo de expor-se e reconhecer as suas imperfeições. Sentir-se errado é o mesmo que ser aniquilado. Porém, o que é aniquilado não é a sua real identidade, mas o ego. O ego é humilhado e exposto. Por esta razão o orgulho é uma força tão forte de resistência.

Mas se você pratica a Verdade, se você entende a vida como um fenômeno espiritual, você permite-se ser humilhado e reconhece os próprios erros. Porque afinal, o que importa é o desenvolvimento e aprendizado.

Para sentir Deus dentro, a confiança no suporte incondicional da Existência, nós precisamos remover toda a ideia de um eu separado do todo que controla e precisa ser protegido.

As suas ações não te pertencem, mas são resultado do espaço e tempo específicos que o Universo escolheu para colocar você. Nós apenas somos veículos de expressão de Deus. Assim, qualquer ideia de eu, meu, precisa ser transformada.

Aquele que torna-se um nada pode manifestar a verdade e ser feliz. Ele compreende que a vida é um constante fluir de renovações. Sem controle de seu destino, ele está aberto para o milagre acontecer em sua vida.

A sabedoria universal manifestou você em Sua perfeição, e ela própria sabe o que é melhor para você. Nem você mesmo sabe como a sua alma pode realizar-se. Portanto, a única saída é seguir desapegadamente o coração e confiar no milagre divino.

Abra-se ao desconhecido e seja surpreendido!

Receba o que a mente não é capaz de compreender!

Om Nadabrahman




A realização de seus sonhos depende apenas de sua decisão de assumir o risco necessário. 

Nascer neste mundo já é em si assumir um risco. Sair de casa é assumir um risco. Entrar em um relacionamento é um assumir risco. Qualquer alegria que se inicia traz consigo o fim a espreita. Nada é para sempre, apenas a certeza da transformação.

De quê adianta querer possuir se em algum dia a vida transformará tudo em pó?

No fim das contas não importa se temos ou o se perdemos, mas sim a intensidade do sentir, do pulsar da existência em nossas células a cada momento.

Saiba o que é importante nesta vida, para que no fim dela você não precise sentir a acidez do arrependimento.

Facilmente somos dragados pelas expectativas da sociedade correndo atrás de miragens vazias de propósito. Assim, esquecemos de nós mesmos.

A sua vida pode ser lendária se você estiver disposto a assumir o risco de perder as suas referências e pular no abismo.
A verdadeira vida é imprevisível. Somente conduzida pela guiança invisível.

Seja um rebelde e siga o seu coração. Ninguém pode dizer-te o que é bom para você. Somente você é capaz de descobrir a resposta para as suas inquietações.

Desista de ser reconhecido, amado e aceito. Ao invés disto, reconheça, ame e aceite. Reconheça quem não te reconhece. Ame quem não te ama. E aceite quem não te aceita. Tal atitude te libertará e você se tornará poderoso e intocável pelas críticas.

O caminho é interno. A resposta jaz no silêncio dos pensamentos.

Dentro de você está todo o prazer, alegria e satisfação. Você já é completo. Apenas é preciso abrir mão da busca e deixar a escuridão emergir para ver a luz no fim do túnel.

Perca-se em si mesmo e seja livre!





Silfos das Montanhas:
Seu lar é o topo das montanhas. Segundo os antigos, o trabalho desses silfos é modelar os cristais de gelo, formar os flocos de neve, reunir as nuvens. Nestas tarefas, são auxiliados pelas Ondinas, que complementam os compostos. Os ventos são considerados pelos antigos como os próprios Espíritos do Ar em ação. Os silfos são os Elementais mais elevados porque seu elemento nativo é o que possui a mais elevada freqüência de vibração. Vivem centenas de anos, até mil anos, e jamais desenvolvem sinais de velhice.
 — com Leticia Aguiar.






Pelos poderes de três vezes três,
Toda vontade vira ação.
Sempre pelo bem de todos,
Essas energias se formarão.




Eu pedi Força á Deusa,

E Ela deu-me Dificuldades para me fazer forte.

Eu pedi Sabedoria á Deusa,
E Ela deu-me Problemas para resolver.

Eu pedi Prosperidade á Deusa,
E Ela deu-me Cérebro e Força muscular para trabalhar.

Eu pedi Coragem á Deusa,
E Ela deu-me Perigo para superar.

Eu pedi Amor á Deusa,
E Ela deu-me pessoas com Problemas para ajudar.

Eu pedi Favores á Deusa,
E Ela deu-me Oportunidades.

Não recebi nada do que eu quis
Mas recebi tudo o que precisei.





Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos

Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou juntos outra vez
Já sonhamos juntos semeando as canções no vento
Quero ver crescer nossa voz no que falta sonhar
Já choramos muito, muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar uma nova canção que venha nos trazer
Sol de primavera abre as janelas do meu peito
a lição sabemos de cor
só nos resta aprender...