24 de ago de 2011


“Toda árvore ganha beleza quando tocada pelo sol” (Rûmî)

‘Vem. Conversemos através da alma.
Revelemos o que é secreto aos olhos e
 ouvidos.
Sem exibir os dentes,
sorri comigo, como um botão de rosa.
Entendamo-nos pelos pensamentos,
sem língua, sem lábios.
Sem abrir a boca,
contemo-nos todos os segredos do mundo,
como faria o intelecto divino.
Fujamos dos incrédulos
que só são capazes de entender
se escutam palavras e vêem rostos.
Ninguém fala para si mesmo em voz alta.
Já que, todos somos um,
falemos desse outro modo.
Como podes dizer à tua mão: “toca”,
se todas as mãos são uma?
Vem, conversemos assim.
Os pés e as mãos conhecem o desejo da alma.
Fechemos, pois a boca e conversemos através

da alma.
Só a alma conhece o destino de tudo, passo

a passo.
Vem, se te interessas, posso mostrar-te.’
(Rumii)



If the sky is not in love, then it will not be so clear…

If the sun is not in love, then it will not be giving any light…

If the river is not in love, then it will be in silence, it will not be moving…

If the mountains, the earth are not in love, then there will be nothing growing…”

– Mawlana Jalaluddin Rumi

Teu amor chegou a meu coração e partiu feliz.
Depois retornou e se envolveu com o hábito do amor,
mas retirou-se novamente.
Timidamente, eu lhe disse: “Permanece dois ou três dias!”
Então veio, assentou-se junto a mim e esqueceu-se de partir37.
Deus é como o primeiro amor, que não abandona jamais o coração (MII, 2619),



O amor é um dos temas mais importantes na obra de Rûmî, objeto de seus poemas mais ricos e singelos. Para ele, o amor é “o astrolábio dos mistérios de Deus”: