15 de jan de 2011

Como o riacho veloz conhece sua fonte,
Assim tu deves conhecer teu próprio ser.
Como o manso lago azul cuja profundidade nenhum homem conhece,
Assim deve tua profundidade ser insondável.
Como os mares contém uma multitude de coisas vivas,
Assim estão em ti os segredos escondidos dos mundos.
Como na encosta da montanha,
Nas várias altitudes, diferentes flores crescem,
Assim em ti existem gradações de beleza.
Como a terra é cheia de tesouros escondidos que o homem jamais viu,
Assim em ti há segredos ocultos, desconhecidos de ti mesmo.
Como os ventos possuem uma força imensa e inesgotável,
Assim em ti se encontra uma grande e invencível energia.
Como os cumes das montanhas dançam à luz do sol,
Assim tu deves dançar à luz do conhecimento de ti mesmo.
Como existe uma visão que sempre vai mudando na trilha tortuosa da montanha,
Assim em ti há uma constante revelação.
Como a estrela distante que cintila na noite escura,
Assim é aquele que descobriu a si próprio.