6 de set de 2013





Amar significa abrir mão do egoísmo doando-se em benefício de outros. 

Para tornar-se o amor, é preciso renunciar a todo o mal. Em outras palavras, é necessário reconhecer a sua própria sujeira.

Entretanto, o orgulho é uma imensa barreira que bloqueia a passagem da luz. Você tem medo de expor-se e reconhecer as suas imperfeições. Sentir-se errado é o mesmo que ser aniquilado. Porém, o que é aniquilado não é a sua real identidade, mas o ego. O ego é humilhado e exposto. Por esta razão o orgulho é uma força tão forte de resistência.

Mas se você pratica a Verdade, se você entende a vida como um fenômeno espiritual, você permite-se ser humilhado e reconhece os próprios erros. Porque afinal, o que importa é o desenvolvimento e aprendizado.

Para sentir Deus dentro, a confiança no suporte incondicional da Existência, nós precisamos remover toda a ideia de um eu separado do todo que controla e precisa ser protegido.

As suas ações não te pertencem, mas são resultado do espaço e tempo específicos que o Universo escolheu para colocar você. Nós apenas somos veículos de expressão de Deus. Assim, qualquer ideia de eu, meu, precisa ser transformada.

Aquele que torna-se um nada pode manifestar a verdade e ser feliz. Ele compreende que a vida é um constante fluir de renovações. Sem controle de seu destino, ele está aberto para o milagre acontecer em sua vida.

A sabedoria universal manifestou você em Sua perfeição, e ela própria sabe o que é melhor para você. Nem você mesmo sabe como a sua alma pode realizar-se. Portanto, a única saída é seguir desapegadamente o coração e confiar no milagre divino.

Abra-se ao desconhecido e seja surpreendido!

Receba o que a mente não é capaz de compreender!

Om Nadabrahman