3 de ago de 2010

André Luiz

A conduta indica a orientação espiritual da criatura.
Surge o ideal realizado, consoante o esforço de cada um.
Amplia-se o ensino, conforme a aplicação do estudante.
Eternidade não significa inércia, mas dinamismo incessante.
O caminho é infinito.
Quem estabelece a rota da viagem é o viajor.

Continua, pois, em marcha perseverante,
gastando sensatamente o tesouro dos dias.

Em sessenta segundos, a lágrima
pode transformar-se em sorriso,
a revolta em resignação e o ódio em amor.

Nessa mínima parcela da hora,
liberta-se o espírito do corpo humano,
a flor desabrocha, o fruto maduro cai da árvore
e a semente inicia a germinação da energia latente.

Analisa o que fazes
de tão valiosa partícula de tempo.
Num só momento,
o coração escolhe roteiro para o caminho.

Com o Evangelho na consciência,
o lazer é tão-somente renovação
de serviço sem mudança de rumo.

Não desprezes o tempo, em circunstância alguma,
pois quem espera a felicidade se esmera em construí-la.
A hora perdida é lapso irreparável.

Dominar o relógio é coordenar os sucessos da vida.

Nos domínios do tempo, controlamos a hora
ou somos ignorados por ela.

Por isso, quanto mais a alma
se eleva em conhecimento, mais governa
os próprios horários.

Lembra-te de que as edificações mais expressivas
são formadas por agentes minúsculos
e de que o século existe em função dos minutos.

Não faz melhor quem faz mais depressa,
mas sim quem faz com segurança e disciplina,
articulando ordenadamente os próprios instantes.

Observa os celeiros de auxílio
de que dispões e não hesites.
Distribui os frutos da inteligência.
Colabora nas tarefas edificantes.
Estende a solidariedade a benefício de todos.
Fortalece o ânimo dos companheiros.
Não te canses de ajudar para que se efetue o melhor.
O manancial do bem não tem fundo.
A paz coroa o serviço.
E quem realmente aproveita o minuto
constrói caminho reto para a conquista
da vitória na Divina Imortalidade.

André Luiz

Psicografia Waldo Vieira
do Livro Sol nas Almas.